Início Colunas ARTIGO COMER BEM: Tensão Pré-Menstrual

ARTIGO COMER BEM: Tensão Pré-Menstrual

84
0

Por Luciana Oliveira, nutricionista clínica

Foto: Pixbay

Atualmente conhecida como síndrome pré-menstrual, a Tensão Pré-menstrual – TPM, é um dos distúrbios que mais acometem as mulheres. Se caracteriza por inúmeros sintomas físicos, emocionais e comportamentais, gera muitos prejuízos na qualidade de vida de um bom número de mulheres. A causa principal é desconhecida, mas segundo alguns pesquisadores, sua causa é multifatorial, onde ocorrem alterações hormonais e a deficiência em micronutrientes podem estar envolvidos.

De acordo com Abraham (1983), a TPM pode ser classificada em subgrupos:

  • TPM A: onde os sintomas de alteração de humor são marcantes, ansiedade, irritabilidade ou raiva, tensão, presença de conflitos interpessoais, insônia, modificações de apetite, entre outros. Mulheres que apresentam esse tipo, tem níveis elevados de estrogênio e baixa progesterona;
  • TPM H: associada a altas concentrações de aldosterona. Os sintomas podem interferir no funcionamento social, ocupacional e sexual;
  • TPM C: as mulheres acometidas por este tipo apresentam forte vontade de consumir doces, carboidratos e aumento de apetite. Aumento da tolerância à glicose e redução de magnésio.
  • TPM D: as mulheres acometidas por este tipo apresentam podem apresentar sintomas depressivos, baixas concentrações de serotonina.

Os sintomas mais comuns são aumento de tristeza, depressão, variação de humor, irritabilidade, ansiedade, inchaço de mamas, dores articulares e musculares, fadiga, problemas de concentração, sensação de inchaço ou ganho de peso, dores de cabeça, acne, diarreia ou constipação, alterações do apetite e piora da qualidade do sono.

Com estratégias simples, muitas vezes conseguimos contornar a maior parte desses sintomas, mas é fundamental ter auxílio profissional para suplementação e assim, complementar com fitoterápicos que irão auxiliar no equilíbrio.

Mas paralelo a isso, é importante uma alimentação livre de produtos industrializados, equilibrada em nutrientes, rica em fibras, reduzida em gorduras de má qualidade e estar dentro ou o mais próximo possível do peso ideal. Então procure distribuir comida de verdade ao longo de seu dia, principalmente nos 10-13 dias que antecedem a menstruação, mas para obter melhores efeitos, mantenha um plano alimentar que supra todas as suas necessidades nutricionais.

Alimentos como brócolis, couve-flor, arroz integral, folhosos e saladas, leguminosas, carboidratos de baixo índice glicêmico devem fazer parte de sua rotina alimentar, e deve-se evitar os carboidratos refinados como arroz branco, pães, biscoitos, doces, sorvetes e gorduras trans, aquelas encontradas ainda em biscoitos recheados, margarinas, biscoitos amanteigados, etc. As carnes devem ser magras, refogadas ou assadas, prefira pescados pelos menos 3x por semana.

A variedade de nutrientes, é o foco, então a regra é comer colorido. Às frutas variadas pode ser acrescentado fibras como as da linhaça triturada, e farelo de aveia, que fornece as betaglucanas que é uma fibra que irá auxiliar e muito na saciedade e equilibrar o equilíbrio da microbiota intestinal. Faça o consumo adequado de água, multiplicando seu peso por 35ml. O resultado é a sua necessidade de água por dia, podendo variar em função do calor e exercícios. E estes também são recomendados sempre, pois irão ajudar a eliminar o inchaço e a produzir endorfinas para acalmar a ansiedade gerada nessa fase tão delicada da mulher.

Para maiores informações de suplementação, consulte um profissional capacitado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui